10 de jul de 2016

Aprendi a errar? [Parte 02]




       Sabendo que eu queria muito isso e estava decepcionado com o resultado, meus amigos, preocupados, me procuraram por todo o colégio. Recusei abraços, fui rude e nada sincero com os você está bem?. O respeito ás minhas dificuldades esteve presente diante de algo que poderia ser julgado como desnecessário. A dor de um nunca será a dor de outro. O dia inteiro eu ouvi palavras lindas de conforto que nunca esquecerei. Cadê a sua fé? Cadê a sua esperança? Não precisei chegar ao final do dia para perceber o que realmente estava acontecendo.
       Em determinados momentos de nossa vida, seremos submetidos a obstáculos nos quais serão necessárias todas as nossas forças. No início, a minha meta era essa: estar entre os 20 selecionados. No dia do resultado, fui o número 26. Este é o meu número.
       Eu não conseguia enxergar, mas existem pessoas que se importam comigo e que amam o que eu faço, e sou. Não existia essa de ninguém liga para você. Minha mãe, meu pai, meus amigos, meus professores e até os funcionários do colégio. A monitoria era remunerada, mas o dinheiro não me importava. Estava apenas em busca de aprovação. Calma, não uma aprovação seletiva, e sim a minha auto-aprovação. Agora tenho a resposta para todas as perguntas que me foram feitas sobre mim. Se eu sou inseguro? Não, mas talvez as vezes duvide disso. Esse é um erro meu que talvez também seja seu. Alguém que queria fazer a diferença, mas que nunca foi aceito. Hoje é, pois vive seus melhores dias cercado pelas melhores pessoas que podia ter.
       Um fato interessante é que eu disse a uma dessas três pessoas que me entrevistaram, psicopedagoga do colégio, que talvez escreveria sobre ela. Feito, mas aposto que por um momento pensou que este seria um momento de raiva e vingança. Não, é um momento de agradecimento. Sou o número 01 na minha lista, e devo isso a todos que me apoiaram neste meu mal momento. O pai de uma amiga minha disse uma vez que um processo seletivo te avalia antes e depois de finalizado. Hoje, querendo ou não, me sinto aprovado.
       Isso tinha que acontecer! Estava perdido entre quem eu era e quem não. Já morri muitas vezes, mas continuo vivo. Isso não irá acontecer novamente, eu espero, pois sei que agora preciso de ajuda. E ela sempre esteve ao meu lado. Este não é um final para mim, e sim um início. Complexo ou simples? Complexo! Você é inseguro? Não! Líder ou liderado? O que for necessário.
       Realmente aprendemos com nossos erros, então dê uma chance a seu erro, ele pode se tornar algo incrível, como o meu. Eu achava que precisava entrar no evento para aprender a ceder a mim mesmo, mas acontece que acabei aprendendo sozinho, ou já sabia? Tudo acabou bem. Eu me cedi, e dei uma chance ao meu erro. Sou apenas um nome em uma lista?
NOTA DO AUTOR: Após revisar esse texto para publicá-lo aqui, pensei que não importe o quanto eu descreva este momento, nunca conseguirei explicar por completo o que senti neste dia. Foi desesperador, mas no final acabei percebendo que a vida é incrível assim do jeito que ela é. 
Texto Escrito Por: Ronyson Severiano

Nenhum comentário:

Postar um comentário