18 de out de 2015

Desabafo: Sendo Repreendido no Ensino Médio


      O texto a seguir é um desabafo pessoal de um jovem indignado com seus sonhos reprimidos pelo sistema atual de educação que o obriga a ser bom em matérias na qual o mesmo não possui afinidade alguma. Primeiramente, eu gostaria de ressaltar a imensa gratidão que tenho por meus professores e pela instituição na qual sou matriculado, que vem me ensinando dia após dia a pensar como uma pessoa de verdade e criticar sobre uma dose exata algo que me incomoda. Como todos sabem, eu tenho não só um, como vários sonhos. Um deles, o mais importante e que está sendo o foco desta publicação, é o meu sonho de ser escritor. Escrever sempre foi a minha paixão, porém durante todos esses anos, o máximo do máximo que pude desenvolver na minha escrita foi a partir de treinos por conta própria, pois o ensino que fui submetido (e todos foram) me obriga a estudar algo que suga toda a minha energia afim de me preparar para o "mercado de trabalho".
      Eu tenho ideias guardadas para produção de livros que vão de ficção, passam pela aventura, drama e até romance. Mas onde acho esse tempo para escrever? De uma semana letiva escolar, quatro desses dias eu vivo no colégio em tempo integral (só quem observa o meu dia-a-dia e dos meus colegas poderá perceber). Chego em casa ás sete horas da noite acompanhado de uma carrada de trabalhos e provas para estudar, para no dia seguinte ter que estar ás cinco horas da manhã disposto para mais um dia no colégio. Dai vem meus críticos pensamentos sobre esse sistema de ensino atual do Brasil, que enche os alunos de matérias na quais os mesmos não desejam cursar. Posso me usar como exemplo e mencionar que sou obrigado a estudar matemática (não só estudar, como ser bom em matemática), física e química para me "preparar para o futuro", sendo que o horizonte que eu desejo explorar se encontra muito distante desse ambiente.
      Como posso focar num seminário de português? Como posso ler um livro recomendado por um professor? Como posso, eu mesmo produzir uma redação em casa as pressas (por falta de tempo) sem ser chamado de preguiçoso? As vezes, durante uma aula ou outra dessas matérias, podemos nos deparar com uma pergunta parecida com essa: "mas onde diabos eu vou usar isso na minha vida?". Recentemente, no início desse mês ouvi uma resposta bem intrigante para tal pergunta: "para quem for cursar 'x' curso, isso é muito importante". Tá, mas e eu que não quiser cursar 'x' curso?
      Eu sei que isso tudo é de extrema importância para a construção de um conhecimento próprio, mas o que as instituições acabam por não enxergar é que o aluno que não se encaixar numa determinada "inteligência", criada por uma hierarquia tendo como morada o ambiente escolar, acabará sendo reprimido (muitas vezes estará sujeito a uma gigantesca sobrecarga) ou até mesmo ser levado a reprovação. São muitas coisas que poderia falar e discutir aqui como o tempo exigido, a obrigação e cobrança para tais estudos. Eu realmente não sei o que será do meu futuro como escritor, já que ainda me restam três anos dentro deste curso técnico em biocombustíveis (que é mesclado ao ensino médio), porém estou pensando seriamente na possibilidade de largar o curso por não sentir vocação para isso.
      Quanto a área técnica do curso eu não tenho do que reclamar, já que estou onde estou por escolha minha. Mas sobre a grade de ensino médio, sinto que não sou o único do país a sentir essa repressão. Muitos por ai sonham em ser atores, cantores, músicos, dançarinos, youtubers, escritores, e por ai vai... Mas onde vemos o espaço na educação para isso? Quantas pessoas já não desistiram de seus sonhos? Eu, apenas estou vendo meu tempo ser roubado para satisfazer um sistema capitalista onde para minha sobrevivência, terei que correr para os cursos de engenharia, medicina, direito, etc. "O resto é apenas considerado perca de tempo". Espero não ser chamado de "fracassado" pelos "inteligentes" caso tenha que desistir dessa instituição para correr atrás do que eu quero. Se alguma voz autoritária estiver lendo essa publicação, leve isso como um pedido de ajuda.

Obrigado pela sua atenção, até o próximo post. 
P.S. Se me permitirem tempo para viver.

6 comentários:

  1. Rony! É exatamente isso que sinto, ao adentrar o portão do Instituto Federal todos os dias. TEXTO MARAVILHOSO!
    Obrigada por existir e fazer esse texto existir! Sério!

    Compartilhando NOW na minha página porque isso aqui tá de parabéns!

    Quero ser dançarina e/ou arquiteta/jornalista/whatever, e ainda não descobri em quais das minhas pretensões vou usar função exponencial kkkkkkkkkkk Me identifico, e digo por mim, que este texto é mais do que verídico!

    Beijocas!


    www.avenidamundo.com.br

    ResponderExcluir
  2. Nossa, eu todo nesse texto aí, é o que eu penso e e digo todos os dias.
    Eu também quero ser escritor, ao contrário do meus amigos que pensam em medicina, engenharia e coisas do tipo. Mas eu não me importo com nada mesmo no colégio, se vejo que não me acrescenta em nada, eu tento apenas ficar na média. Mas não tenho saco para ser super dedicado a algo que para mim não é nem um pouco interessante. E dos próprios amigos há um cobrança. Mas eu sempre digo: Para ser escritor não precisa passar no ENEM, afinal, não há faculdade para isso. Como eu quero ser escritor, pouco me importa tirar 10 em matemática ou física. Então eu não vou me matar para resolver cálculos de química, porque além de eu ser péssimo, eu odeio exatas. Parece que o colégio gira em torno do ENEM, e cada passo que você dá, está ligado a essa prova que parece decidir o futuro do mundo. E se eu não quiser cursar uma faculdade? E se eu quiser trabalhar e me dedicar a escrever um livro até que eu consiga uma editora e coisa assim? Nem todo mundo sonha nem pensa igual.

    http://letrasfloresecores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é velho, é uma realidade assustadora! :'(

      Excluir
  3. Texto maravilhoso. Quantos anos você tem? 16? Sua escrita é maravilhosa <3
    Você tem tudo para ser um ótimo escritor escrevendo coisas assim.
    Aliás, não desista do seu sonho, você será.
    Nossa educação é muito defasada, infelizmente. Precisa de uma reestruturação e o quanto antes. Seria maravilhoso se no ensino médio já existisse essa distribuição de que área você quer seguir, você escolhendo as matérias que quer cursar, mas parece utopia pensar que aqui no Brasil algum dia exista isso. Espero que num futuro, não tão longínquo, mas por enquanto, utopia :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Tenho 16 sim, quase 17! hehe Muito obrigadoo! É realmente muito triste, muito mesmo. Entretanto sou brasileiro e por não desisto, está no nosso sangue. É duro, mas sei que chego lá! CHEGAMOS LÁ!

      Excluir