9 de jul de 2015


      Com essa nova fase do blog eu meio que prometi a mim mesmo que iria tentar mostrar um lado meu mais confiante e inspirador. Como eu venho sempre trabalhando nesse meu quesito, mesmo que sempre publique textos um pouco (muito) melancólicos, frutos de canções que venho escutando recentemente, minha intenção é cada vez mais trabalhar com esses meus pensamentos e compartilhá-los aqui. Quando alguém me pergunta qual o foco do blog eu sempre respondo "Coisas que eu gosto", pode ser até bem óbvio, mas quando digo isso eu quero dizer que esse blog reflete diretamente a minha personalidade e quem eu sou. A música que escuto com toda certeza faz parte desse pacote. Ela é um ótimo instrumento para o auxílio da nossa confiança, e esta vem me ajudando cada vez mais a me tornar uma pessoa melhor. Na caminhada da vida, a gente sempre se depara com grandes ou pequenas dificuldades, momentos em que não nos aceitamos ou até mesmo sentimos vergonha. Criei essa lista de músicas que me inspiram, com minhas palavras descrevi o que cada uma delas significa, e como elas podem te ajudar. 


Take On The World (Confira a Tradução) - Ah, como essa música é importante pra mim! Pode ser apenas mais uma música tema de um seriado da Disney (Girl Meets World), mas que contém inúmero poder emocional. Pelo nome da música já se percebe logo de cara que é uma dessas músicas que fala sobre a vida. "Take on the World" que traduzindo fica algo mais ou menos: "Enfrente o Mundo". Estou no caminho da minha vida! Essa vai para aqueles que querem desistir fácil de seus objetivos. A música tem uma melodia incrível, e sua letra apenas nos fala que vivemos a beira de algo incrível, mesmo com todas as dificuldades. Com ela, você vai se sentir pronto para deixar de lado todo e qualquer medo e enfrentar todos os seus problemas. Voando alto, não vou olhar para baixo, vou deixar meus medos caírem no chão. Me sinto bem, e vou enfrentar o mundo! 

6 de jul de 2015


     Um olhar pode esclarecer muitos pensamentos duvidosos, como também pode bagunçá-los. Uma arma poderosa criada para matar de angústia aqueles que são iluminados pelo espírito da paixão à primeira vista. Através de seus olhos, eu via humanidade. Uma das mais puras que já vi até então. Serena, dessas que me fazem sentir a calmaria no conforto de seus braços. Não me olhe, eu implorava. Me olhe, eu desejava. 

      Simplesmente era tão bom agir como se eu fosse um cidadão do país das maravilhas, para depois cair nas garras do Jaguadarte quando você não retornasse minhas ligações. Curiosidade, a culpada, procurada por crimes cometidos contra mim por rasgar meus sentimentos e me jogar diretamente em sua direção. Quem sou eu para tentar esclarecer meus atos? Sou apenas um mero mortal com o tempo de vida definido pelo destino. Eu achava que isso seria algo que compartilharíamos, nossas histórias. Eu te amo. Dizia, para simplesmente em seguida presenciar um simples olhar seu, que provavelmente não conseguiria decifrar. Seria um olhar recíproco ou esnobe? Nunca soube.

      Não me lembro da sua voz pronunciando palavras que fossem direcionadas ao meu coração. Quais eram essas palavras mesmo? E pra quem você as enviava? Talvez estivessem perdidas por ai no espaço. Ou talvez essas nem se quer existissem. Não vou te incomodar, a porta está aberta e ela apenas espera que eu me retire. Quero apenas te dar um conselho, não me olhe mais. Foi assim que tudo começou. Por mais que não quisesse, você me trouxe aqui. Não disse nada, quando deveria ter dito. Tentou se comunicar usando a linguagem dos olhos, mas essa você não sabe manusear. Queria me dizer uma coisa, disse outra. Me fez criar uma ilusão de algo que não existe, e apenas observava esperando que o circo pegasse fogo comigo dentro da tenda.
      
     Desejo seu olhar, e desejo muito mais. Porém hoje eu sei que tal responsabilidade não cabe a mim. Será difícil te esquecer, então apenas fecharei os olhos ao te ver passar, pois sei que sua cruel natureza falará mais alto que seu consciente e você irá olhar pra mim, destruindo todo o meu equilíbrio.

Texto Escrito Por: Ronyson Severiano

3 de jul de 2015


     Para aquela criança, todo dia era como uma página em branco de seu caderno da vida sendo preenchida com um sonho. Cada minuto era como se uma porta se abrisse e a luz percorresse por todo o quarto vazio e a enchesse de esperança. Cada segundo era como se sorrisos matassem de vergonha o seu medo de errar. Não sabia que bem ao seu lado morava a arrogância dos que não acreditavam. Criança tão inocente, que achava que os bobos da turma iriam lhe impedir de traçar seus caminhos. É só a sala de aula. Risos e risos dos que querem lhe agredir! Ela não tinha o que temer, mas temia. Os rumores que se alastravam pelo corredor, ela podia sentir. Apontem os dedos para aquela criança e a julguem, afinal nascemos para achar todas as coisas que estão ao nosso redor tediosas. Como uma amante da vida, ela apenas saia para sentir o amor de graça que a vida colocava sempre em oferta. Apenas batia o pé e continuava a confiar em seus objetivos. Assustada, na ultima cabine do banheiro, ela apenas torcia para que o fim dos estudos estivesse próximo para fugir de todo aquele perigo. O sinal tocava, ela abria a porta da cabine devagar para voltar pra sala, onde ouviria mais comentários sarcásticos sobre suas decisões. Amante da vida, desejava sempre o bem ao próximo. Amante da vida, distribuía gentileza por onde passava. Amante da vida, vivia sempre com instintos de uma música feita para primavera. Realmente não se incomodava, pois todo dia era como um dia de batalha onde seu coração era sempre machucado. Criança não devia sofrer assim, devia? Nunca foram encontradas as marcas de suas lutas no colegial, pois elas são completamente invisíveis a olho nu. Terríveis e Cruéis, aqueles que hoje nem se lembram das ações cometidas contra a criança. Mas para ela, que um dia foi indefesa, cada dia é como se todos esses rabiscos de tortura, que foram feitos sobre seus desejos, fossem apagados do seu caderno para que no futuro ela esteja pronta para realizá-los. Hoje ela não se preocupa mais, pois sabe que estava apenas numa sala de aula.

Texto Escrito Por: Ronyson Severiano
Música Inspiração: New Romantics - Taylor Swift