5 de dez de 2015


      Eu realmente tenho uma sorte absurda para encontrar cantores em ascensão - ou desconhecidos por grande parte dos ansiosos ouvintes de música - por fuçar os milhões de "músicos perdidos" que podem ser encontrados na plataforma de vídeos mundialmente conhecida, youtube. Por este motivo, resolvi voltar a escrever a série que anteriormente batizei simplesmente de "conheça", onde, para falar a verdade, apenas recomendei o sensacional adolescente (que hoje se encontra presente nas paradas de sucesso) Shawn Mendes (você pode clicar aqui para conferir a publicação sobre o cantor). Hoje, marcando a volta dessa série de posts que tanto amo escrever, agora batizada de "MEET" (conheça, em inglês), trago a vocês uma cantora que me deixou encantado por seus vocais, doces e vibrantes, com apenas uma música. Alessia Cara! Antes de apresentar a cantora e listar algumas de minhas músicas preferidas, como de costume, é de extrema importância que vocês tenham o conhecimento de como cheguei a admirar o talento essa figura linda que mal conheço e já considero pakas.
      Em um belo dia, enquanto caminhava por bosques repletos de flores azul anil. Estava eu, quase tranquilo como sempre, na casa do meu amigo, fazíamos vários nadas, assistindo a vídeos avulsos no youtube, quando de repente ele alegou conhecer uma música que tinha a pura certeza de que eu, Ronyson, iria me apaixonar.


      O que estou fazendo aqui? Sabe aquela super festa que seus amigos lhe convidaram para curtir no final de semana? Aquela festa onde 90% dos convidados são completos desconhecidos para você. Sim, a música relata o constrangedor momento em que todos estão a curtir a vibe enquanto você se encontra paradão lá no canto, apenas pensando em como a cor do copo descartável é interessante. Claramente eu! Meu amigo, que encontrou a cantora via Spotify, fez a recomendação por se lembrar de mim ao ouvir a música. Ir a uma festa e cansar de tanto dizer "Anda Ronyson, se enturma!". E foi justamente este mesmo momento que a cantora escolheu para ser trabalhado com tanto cuidado na letra da música. Não bastou apenas uma letra bem construída para que eu me identificasse por completo, e sim, também, algo que posso considerar essencial: a sonoridade, que foi muito bem combinada com os belos e suaves vocais da Alessia.

29 de nov de 2015


    O grande dia chegou. O não só grande, mas imenso dia comemorativo dessa Grande Galáxia que tanto me deixa orgulhoso! E foi nesse mesmo dia que, há exatamente um ano, uma nova meta havia sido estabelecida. "Meu Espaço, Minha Grande Galáxia". No dia 29 de Novembro de 2014, pela primeira vez, uma publicação escrita por mim havia chegado aos ares galácticos. Lembro-me perfeitamente dos sentimentos que lancei sobre o teclado neste meu primeiro contato com você, leitor assíduo que sempre esteve aqui comigo. - Para você que chegou recentemente: Prazer, me chamo Ronyson, mas pode me chamar de Romyldo!, quer um chá? - Toda a imensa gama de pensamentos que circulava sobre a minha mente pode ser resumida com apenas uma frase: "Será que eles vão gostar do que eu escrevo?"É só mais um blog, eu pensava. Seria mesmo? Poderia sim ter sido só mais um blog que meses depois seria abandonado. Porém, diante de todas as dificuldades, a persistência foi minha verdadeira amiga e a mesma me guiou adiante por um caminho que só me traria felicidade.
      Hoje, 29 de Novembro de 2015, registro UM ANO de história em meu coração. Que todos os momentos que este meu confortável mundo pessoal me proporcionou se multipliquem pelos próximos 500 anos. Esse foi o ano em que fiquei conhecido como o Romyldo das galáxias. O ano em que pude, pela primeira vez, encontrar uma forma, sem fronteiras, de me expressar através das palavras enroladas que muitos julgam como "desnecessárias". Aqui, não existe "cale a boca ronyson". Não quero apenas falar, ou apenas ouvir, quero compartilhar algo que me é valioso: O sentimento! Não apenas o amor, mas a amizade, a alegria, a tristeza, pois ela existe, e infinitamente o que o ser humano pode ser capaz de questionar diante de sua existência.
      Quero agradecer imensamente a todos aqueles responsáveis por minha permanência neste meio, vocês são maravilhosos. Eu faria uma festa, distribuiria presentes, faria maratona de postagens, mega playlists, sorteios, mas esse é o máximo que eu tenho a ofertar por hoje, um obrigado, sinceras palavras de gratidão e a garantia de que isso tudo aqui é só o começo. Espero que realmente não esteja desmerecendo, você leitor, com a constante falta de postagens. Pensar em como construir conteúdo interativo pro blog, eu penso todos os dias. Só quero que saiba, que independentemente do baixo número de publicações, estas são verdadeiras e feitas com muito carinho. Esse foi o nosso ano, ano dos amigos galáxicos. 18 MIL visitas em 48 publicações, 291 curtidas na página oficial do facebook, 42 seguidores e grandes amigos, vocês, que sei que posso contar. Esse foi o meu, o seu, o nosso ano. Obrigado mais uma vez, por curtir, seguir, e visitar o WWW.GRANDEGALAXIA.COM. Um enorme, imenso e GRANDE abraço GALÁXICO! Até mais.

MEUS POSTS PREFERIDOS:

8 de nov de 2015



      Hoje você passou ao meu lado e senti levemente o cheiro doce e suave de sua bela simpatia. Queria implorar por mais tempo para fazer por merecer sua incrível companhia. Hoje, eu não sei, eu duvido, eu suspeito, eu tenho certeza que, eu questiono, eu reflito e sei que talvez te ame. Esse amor que idealizei por me tornar necessitado do seu carinho é real? É apenas um sentimento superestimado pelo meu lado romântico previsível.
      A verdade é que temos tantos sentimentos para tão pouco tempo de vida. Não achas isso uma punição generalizada por causa daqueles que não sabem amar? Hoje foi mais um dia de explosão. Existiu o bem e existiu o mal, para que houvesse um controle de minha natureza. Hoje, o bem, eu abracei você! Hoje, o mal, acordei e percebi que não te abracei. O que será do amanhã? Ontem foi apenas mais um hoje do passado ambientado por mais angustias. Amanhã irei te amar com hoje? Como ontem? Como quarta-feira?
      Aqueles dias se passaram e com eles caminhavam juntas a ansiedade e aflição. Até que certo dia, enquanto fazia de meu próprio lamento um castigo para a minha alma isolada, resolvi te causar o espanto, sem intenção, ao reafirmar que meus sentimentos são reais e ainda são responsáveis por minhas constantes mudanças de humor. Um bom dia, causou um sorriso. Um desprezo, causou um desânimo. Avante, avante meu companheiro, coração, que esta dor não te vale mais o esforço. Será? Vem ilusão, vem dizer que tudo deveria ser perfeito.
      Dizem que eu devo te esquecer. Abandonar tudo aquilo que nunca foi feito. Entretanto, eu não seria capaz de simplesmente ir contra o pensamento que sempre usei como argumento: "Estarei aqui por você eternamente!". Alguns garantem que o amor não correspondido não vale a pena. Qual amor vale a pena? Faço este questionamento para te fazer refletir sobre o quão é raro encontrarmos almas gêmeas equilibradas de harmonia e paz.
      Infelizmente esta é a minha realidade, e talvez seja a sua também. Não importa o quanto doa, o quanto dure, o quanto se desgaste, estarei aqui por você. O importante sempre foi, e sempre será, sentir. Hoje, nossos diálogos são alimentados por frios silêncios carregados de pena e pedidos de desculpa, porém, a sensação ainda é a mesma. Sua loucura é exorbitante, mas costumava te dizer que as melhores pessoas são assim. Ainda te vejo, te sinto, te admiro e te trato como a coisa mais importante destinada ao meu amor.

Texto Escrito Por: Ronyson Severiano



1 de nov de 2015


      Já inicio o post corrigindo o título e aviso que de colegas, eles passam longe desta definição e são na verdade meus amigos, irmãos e companheiros. Para mostrar que apesar do grande empecilho apresentado no último post (que você pode ler clicando aqui), eu tenho um grande motivo para permanecer onde estou. "Fonte de veneno não tem fim!" Este é apenas um dos grandes ensinamentos que foram contemplados durante o meu proveitoso primeiro ano letivo escolar do ensino médio no qual tive o enorme prazer de conviver com grandes filósofos (todo o pessoal da minha turma haha) e suas tentativas frustradas de me repassar informações: "Um tronco sempre será um tronco, Romyldo"". Brincadeiras a parte, que talvez nem sejam compreendidas, esta é uma forma de iniciar a uma honrosa homenagem a minha turma do 2º ano de biocombustíveis! Simplesmente a melhor que já tive em toda minha vida.
      Há quase exatos dois anos, 30 alunos - dentre mais de 100 inscritos - foram selecionados para compor a turma do primeiro ano no curso de biocombustíveis no Instituto Federal da Bahia - Campus Paulo Afonso. Quem diria que eu seria um desses sortudos? No início foi tudo muito arriscado, pois estava deixando de lado toda uma rotina pra iniciar uma completamente diferente. Tive que repetir o primeiro ano, pois quando fui selecionado já estava cursando o segundo ano, e para entrar no instituto tive que começar tudo do zero. Isso me deixou muito receoso, mas não pensei mais que três vezes e o IFBA acabou sendo a minha escolha final. Se eu me arrependi? Não. Por muitas vezes posso ter pensado em desistir, mas ai olho em volta e vejo que essa é minha segunda família.
      A partir de tudo que aprendi, com minha turma e com a instituição que frequento, posso fazer uma declaração: Entrei uma pessoa totalmente diferente da que sou hoje e ao me formar estarei completamente realizado, e não só pela experiência acadêmica, mas pela amizade sincera e verdadeira que foi e é construída ao passar dos dias entrando naquelas salas calorentas para mais dias de luta.
      A verdade, meus queridos leitores, é que me preocupo com cada cabeça ali presente. Não importa qual o problema, tenho um coração mole (ainda mais por eles) e não pensarei duas vezes ao ter que recorrer a um abraço amigo ou um conselho de irmão. Quantas discussões amigáveis serão necessárias para nos preparar para o mundo cruel que nos espera lá fora logo após a formatura? Ainda temos muito chão pela frente, mas nunca serei capaz de esquecer os lerdinhos (grupo no qual estou incluso), os barulhentos, os conselheiros, os cultos, os mal humorados (também estou incluso haha), os implicam com tudo (eu de novo), os amáveis, os famintos, os atrasados, os sonolentos (eu again).
      Eu agradeço de coração a toda a experiência que me proporcionaram até aqui, e agradeço mais ainda pelos apelidinhos carinhosos: Romyldo, Romyselverson, Ronylson, Jonilson, Rodney, Myldo, Ronyscleivison. Mas, por que vir em meu blog escrever sobre essa turma que parece ser perfeita? Sei lá, as vezes, apenas gosto de escrever sobre o que mais amo. Apesar de todos os defeitos, valorizo com todo o coração o lugar no qual pertenço. Sou o melhor que tenho de mim, por estar entre os melhores. 

18 de out de 2015


      O texto a seguir é um desabafo pessoal de um jovem indignado com seus sonhos reprimidos pelo sistema atual de educação que o obriga a ser bom em matérias na qual o mesmo não possui afinidade alguma. Primeiramente, eu gostaria de ressaltar a imensa gratidão que tenho por meus professores e pela instituição na qual sou matriculado, que vem me ensinando dia após dia a pensar como uma pessoa de verdade e criticar sobre uma dose exata algo que me incomoda. Como todos sabem, eu tenho não só um, como vários sonhos. Um deles, o mais importante e que está sendo o foco desta publicação, é o meu sonho de ser escritor. Escrever sempre foi a minha paixão, porém durante todos esses anos, o máximo do máximo que pude desenvolver na minha escrita foi a partir de treinos por conta própria, pois o ensino que fui submetido (e todos foram) me obriga a estudar algo que suga toda a minha energia afim de me preparar para o "mercado de trabalho".
      Eu tenho ideias guardadas para produção de livros que vão de ficção, passam pela aventura, drama e até romance. Mas onde acho esse tempo para escrever? De uma semana letiva escolar, quatro desses dias eu vivo no colégio em tempo integral (só quem observa o meu dia-a-dia e dos meus colegas poderá perceber). Chego em casa ás sete horas da noite acompanhado de uma carrada de trabalhos e provas para estudar, para no dia seguinte ter que estar ás cinco horas da manhã disposto para mais um dia no colégio. Dai vem meus críticos pensamentos sobre esse sistema de ensino atual do Brasil, que enche os alunos de matérias na quais os mesmos não desejam cursar. Posso me usar como exemplo e mencionar que sou obrigado a estudar matemática (não só estudar, como ser bom em matemática), física e química para me "preparar para o futuro", sendo que o horizonte que eu desejo explorar se encontra muito distante desse ambiente.
      Como posso focar num seminário de português? Como posso ler um livro recomendado por um professor? Como posso, eu mesmo produzir uma redação em casa as pressas (por falta de tempo) sem ser chamado de preguiçoso? As vezes, durante uma aula ou outra dessas matérias, podemos nos deparar com uma pergunta parecida com essa: "mas onde diabos eu vou usar isso na minha vida?". Recentemente, no início desse mês ouvi uma resposta bem intrigante para tal pergunta: "para quem for cursar 'x' curso, isso é muito importante". Tá, mas e eu que não quiser cursar 'x' curso?
      Eu sei que isso tudo é de extrema importância para a construção de um conhecimento próprio, mas o que as instituições acabam por não enxergar é que o aluno que não se encaixar numa determinada "inteligência", criada por uma hierarquia tendo como morada o ambiente escolar, acabará sendo reprimido (muitas vezes estará sujeito a uma gigantesca sobrecarga) ou até mesmo ser levado a reprovação. São muitas coisas que poderia falar e discutir aqui como o tempo exigido, a obrigação e cobrança para tais estudos. Eu realmente não sei o que será do meu futuro como escritor, já que ainda me restam três anos dentro deste curso técnico em biocombustíveis (que é mesclado ao ensino médio), porém estou pensando seriamente na possibilidade de largar o curso por não sentir vocação para isso.
      Quanto a área técnica do curso eu não tenho do que reclamar, já que estou onde estou por escolha minha. Mas sobre a grade de ensino médio, sinto que não sou o único do país a sentir essa repressão. Muitos por ai sonham em ser atores, cantores, músicos, dançarinos, youtubers, escritores, e por ai vai... Mas onde vemos o espaço na educação para isso? Quantas pessoas já não desistiram de seus sonhos? Eu, apenas estou vendo meu tempo ser roubado para satisfazer um sistema capitalista onde para minha sobrevivência, terei que correr para os cursos de engenharia, medicina, direito, etc. "O resto é apenas considerado perca de tempo". Espero não ser chamado de "fracassado" pelos "inteligentes" caso tenha que desistir dessa instituição para correr atrás do que eu quero. Se alguma voz autoritária estiver lendo essa publicação, leve isso como um pedido de ajuda.

Obrigado pela sua atenção, até o próximo post. 
P.S. Se me permitirem tempo para viver.

12 de out de 2015


      Vivo em uma sociedade que talvez não compreenda meu envolvimento com um personagem de seriado (principalmente se o mesmo vem de um mundo tão complexo que é este presente em Skins) devido as semelhanças psicológicas. Nesse final de semana, tive a oportunidade de assistir os episódios que me restavam para o fim da primeira geração. Foram duas temporadas, dez episódios episódios cada, com 45 minutos de duração, que tinham como personagens principais: Cassie, Sid, Tony, Maxxie, Jal, Michelle, Anwar, Chris e Effy.
      A série, onde cada episódio foca na vida de um dos integrantes da turma, acabou profundamente me tocando de uma forma inexplicável. Foi extremamente gratificante ver, ao longo dessas duas temporadas assistidas com muita calma e amor, a evolução dos personagens em relação aos seus problemas e questionamentos. Em especial, que seria justamente a minha intenção aqui hoje, coloco sobre os holofotes a graciosa Cassandra Ainsworth, apelidada carinhosamente de Cassie, ou simplesmente Cass. É de forma bem pessoal que vou relatar aqui minhas sensações mais sinceras, pensamentos distantes e ensinamentos adquiridos através desta personagem inesquecível.
      [Recomendo uma leitura desta PÁGINA, pois contém um resumo completo da personagem que pode ser útil, caso você não tenha assistido ao seriado. Até usei algumas definições aqui para que me permitisse a criação de uma linha de raciocínio]
      Logo no início da série, vi uma garota bastante complicada, talvez por não ser compreendida por seus amigos, saindo de uma clínica de reabilitação metal. Dona de uma sinceridade afiada até o último fio de cabelo e um ar de inocência. Essa era Cassie! Quem olhasse para ela, não julgaria ter problemas interiores que causavam choques com a realidade. Apesar das desilusões, sempre estava a espalhar sua simpatia repleta de "wow's" e "lovely's".

10 de out de 2015


      Coisa boa de acontecer foi esse feriado cair numa segunda-feira, tornando assim o nosso final de semana mais longo e proveitoso. Ontem tirei o resto da noite pra descansar, ouvir umas músicas e atualizar algumas séries (admito que devia estar estudando). O blog ainda vai ficar um pouco desatualizado nas próximas semanas, pois sempre fui péssimo em organização e vejo meu tempo disperso de vários nadas que costumo fazer ao errar na programação de tarefas rotineiras. Nem iria publicar aqui no blog durante essa folga, mas acabei tendo as inspirações necessárias pra escrever esta postagem. Resolvi fazer uma playlist, linda de bonita, com as músicas alternativas que mais escuto. Elas são cativantes, com letras adoráveis e melodias explosivas. Vale a pena conferir. Quem sabe você não encontra aqui seus próximos vícios musicais? Assim com eu, você pode amá-los por acaso.


      E para abrir com chave de ouro introduzo a banda MisterWives (meus amores). Confesso ser apaixonado por TODAS as músicas da banda, mas esta em especial, chamada Reflections, é minha preferida. Como sou um tanto exibido, deixo mais uma música da banda aqui em baixo chamada Best I Can Do

3 de out de 2015


      Já sentiu um vazio te encher de felicidade? Reflita sobre essa sensação que nem te corrói e nem te fornece o prazer de um sorriso direcionado a um qualquer. Cuidado! Eles estão te observando, de longe, para mais tarde analisarem sua energia canalizada pela ausência da cor. Não sabe quem são eles? Preocupante, pois eles acham que sabem quem você é. Você tem esse grande vazio perceptível repleto de ideias distorcidas e incompreendidas. Pode assim o mesmo ser chamado de vazio?
      Oh, individualidade branca por fora, colorida por dentro e confusa para os olhares daltônicos. Você pode achar não valer nada por estar longe dessas cores visíveis a olho nu, quando nem imagina conter uma essência validada em ouro. A verdade rapaz, é que te querem arrancar os sonhos. Você vive em um mundo onde pessoas usam o poder das palavras cruéis para conseguir carregar sua imagem por um corredor repleto de ignorância apontada ao teu rosto com dedos indicadores. Você está ai, e eles não podem recriar seus valores como forma de controle.
      És tão vazio como dizem? Por que julgam antes de entender ao invés de entender antes de julgar? Se o que tem ai pode ser chamado de vazio, ainda possui muito espaço para mais sonhos e esperanças. Guarde suas inseguranças e não se dê ao trabalho de sujar suas roupas brancas com medidas desesperadas daqueles que te invejam. Como mostrar para eles a sua essência harmonizada? Você não precisa. Admire, sinta e respire esse ar puro que te rodeia sem ter a pressa de auto-colorir o exterior tão julgado. 

Texto Escrito Por: Ronyson Severiano

30 de ago de 2015


       Até que ponto a minha tolerância me fornecerá paciência? Acabei de transformar todos meus sorrisos em solidão e arrogância. Desmerecidos serão até mesmo aqueles que recebiam o meu bom dia todas as manhãs. Quando eu me cansar por completo não haverá cidadão que tenha paciência de estar ao meu lado. Minha presença se tornará tão perturbadora que doerá na alma de quem sentir parcela de culpa nisso. Fui educado, gentil, legal e amigo o máximo possível. Vou te olhar profundamente nos olhos e você sentirá a ausência das piadas sem graça que eu tanto gostava de te contar. Já me disseram que talvez eu fosse o problema. Como eu desejo nunca ter falado com você, com todos. Dizem que eu sou amado, mas esse amor todo me sufoca, me preocupa e é agonizante como uma torneira aberta ás três da manhã. Tanto faz. Em breve não vou querer ninguém falando comigo. Não queria só um minuto de sossego e sim uma vida inteira. É o meu momento, minha hora de entrar em chamas, de ser o problema ao invés de estar no problema. Já me disseram que talvez eu fosse o problema. Me vem uma vontade louca de abraçar definitivamente essa ideia. Sinto que vou transbordar. Será que vou sobreviver sozinho? Nossa, como eu queria ter te ignorado, agora tenho que aturar essa sua essência de poder sobre mim. Quero meu tempo precioso de volta. Você me incomoda tanto, estou cansado de toda a ironia recheada de maldade. Eu e eu sozinhos na arquibancada da quadra soa muito melhor. Pra mim, esses meus sintomas ainda não são preocupantes e talvez nem sejam notados já que minha simpatia ainda é prevalecida. Mas saiba que isso tudo está aqui dentro de mim e quando for posto em evidência em sua presença peço que se retire, quero ficar sozinho. Já me disseram que sou o problema. Sou.

TEXTO ESCRITO POR: Ronyson Severiano

16 de ago de 2015


      Durante um bom tempo estive pensando e analisando algumas situações vividas no passado. Talvez tenha conseguido chegar a um denominador comum e finalmente decifrado a solução para o problema. Sou eu? Sou eu, trouxa, por esperar demais das pessoas? Sempre acreditei que o destino age de forma inconsciente ao tentar colocar minha vida em um sábio caminho. Que a partir das coincidências, boas reflexões são geradas. Defendi e lutei por um pensamento em que de todos os maus momentos saem coisas boas.  Hoje fiz uma tal de descoberta comigo mesmo que pode causar um desequilíbrio de ideias na minha mente, mas pode converter minha insegurança a um forte impulso de superação. O destino e o tempo nunca irão concertar o problema por completo. Se eu tiver que se machucar e chorar por alguém, a lágrima derramada nunca será esquecida. Será superada. As coisas boas podem ou não vir ao meu conhecer. Por que isso aconteceu? Por que comigo? E se talvez no futuro eu tenha a chance de voltar e apagar isso, minha vida vai mudar? Às vezes essas respostas demoram a chegar, ou chegam rápido demais – em minha opinião, essas são as mais perigosas, pois já me tiraram noites de sono -, ou nem chegam. Das coisas ruins sempre saem coisas boas? A resposta exata eu nunca terei, pois que cada um use esse pensamento como chave para sua trava. O que me resta agora são só as dúvidas que me tornam um pensador. Entender essas respostas pode ser uma tarefa arriscada, mas estrago pior que os efeitos causados pelo amor inventado ela nunca irá fazer. A causa é desconhecida, mas a reação tem destino. Sou eu, é você, somos nós. Sempre cai sobre a raiz da verdade, o coração puro e inocente que só queria viver e amar ao próximo. Das coisas ruins sempre saem coisas boas? Neste momento, eu sei que uma coisa boa dali sempre vai sair. Ou melhor, você vai sair, sairemos. Enfrentamos a tempestade, lutamos por sobrevivência e saímos como guerreiros. Talvez agora tenhamos a resposta. Quem sabe? Manterei minhas dúvidas vivas, pois do destino eu espero qualquer coisa. Somos o problema por acreditar nas pessoas e no amor? Podemos apenas sempre acreditar que essas pessoas que estão contra nossa positividade, no fundo, tenham algo a mais a nos mostrar do que a dor oferecida...

Texto Escrito Por: Ronyson Severiano

9 de jul de 2015


      Com essa nova fase do blog eu meio que prometi a mim mesmo que iria tentar mostrar um lado meu mais confiante e inspirador. Como eu venho sempre trabalhando nesse meu quesito, mesmo que sempre publique textos um pouco (muito) melancólicos, frutos de canções que venho escutando recentemente, minha intenção é cada vez mais trabalhar com esses meus pensamentos e compartilhá-los aqui. Quando alguém me pergunta qual o foco do blog eu sempre respondo "Coisas que eu gosto", pode ser até bem óbvio, mas quando digo isso eu quero dizer que esse blog reflete diretamente a minha personalidade e quem eu sou. A música que escuto com toda certeza faz parte desse pacote. Ela é um ótimo instrumento para o auxílio da nossa confiança, e esta vem me ajudando cada vez mais a me tornar uma pessoa melhor. Na caminhada da vida, a gente sempre se depara com grandes ou pequenas dificuldades, momentos em que não nos aceitamos ou até mesmo sentimos vergonha. Criei essa lista de músicas que me inspiram, com minhas palavras descrevi o que cada uma delas significa, e como elas podem te ajudar. 


Take On The World (Confira a Tradução) - Ah, como essa música é importante pra mim! Pode ser apenas mais uma música tema de um seriado da Disney (Girl Meets World), mas que contém inúmero poder emocional. Pelo nome da música já se percebe logo de cara que é uma dessas músicas que fala sobre a vida. "Take on the World" que traduzindo fica algo mais ou menos: "Enfrente o Mundo". Estou no caminho da minha vida! Essa vai para aqueles que querem desistir fácil de seus objetivos. A música tem uma melodia incrível, e sua letra apenas nos fala que vivemos a beira de algo incrível, mesmo com todas as dificuldades. Com ela, você vai se sentir pronto para deixar de lado todo e qualquer medo e enfrentar todos os seus problemas. Voando alto, não vou olhar para baixo, vou deixar meus medos caírem no chão. Me sinto bem, e vou enfrentar o mundo! 

6 de jul de 2015


     Um olhar pode esclarecer muitos pensamentos duvidosos, como também pode bagunçá-los. Uma arma poderosa criada para matar de angústia aqueles que são iluminados pelo espírito da paixão à primeira vista. Através de seus olhos, eu via humanidade. Uma das mais puras que já vi até então. Serena, dessas que me fazem sentir a calmaria no conforto de seus braços. Não me olhe, eu implorava. Me olhe, eu desejava. 

      Simplesmente era tão bom agir como se eu fosse um cidadão do país das maravilhas, para depois cair nas garras do Jaguadarte quando você não retornasse minhas ligações. Curiosidade, a culpada, procurada por crimes cometidos contra mim por rasgar meus sentimentos e me jogar diretamente em sua direção. Quem sou eu para tentar esclarecer meus atos? Sou apenas um mero mortal com o tempo de vida definido pelo destino. Eu achava que isso seria algo que compartilharíamos, nossas histórias. Eu te amo. Dizia, para simplesmente em seguida presenciar um simples olhar seu, que provavelmente não conseguiria decifrar. Seria um olhar recíproco ou esnobe? Nunca soube.

      Não me lembro da sua voz pronunciando palavras que fossem direcionadas ao meu coração. Quais eram essas palavras mesmo? E pra quem você as enviava? Talvez estivessem perdidas por ai no espaço. Ou talvez essas nem se quer existissem. Não vou te incomodar, a porta está aberta e ela apenas espera que eu me retire. Quero apenas te dar um conselho, não me olhe mais. Foi assim que tudo começou. Por mais que não quisesse, você me trouxe aqui. Não disse nada, quando deveria ter dito. Tentou se comunicar usando a linguagem dos olhos, mas essa você não sabe manusear. Queria me dizer uma coisa, disse outra. Me fez criar uma ilusão de algo que não existe, e apenas observava esperando que o circo pegasse fogo comigo dentro da tenda.
      
     Desejo seu olhar, e desejo muito mais. Porém hoje eu sei que tal responsabilidade não cabe a mim. Será difícil te esquecer, então apenas fecharei os olhos ao te ver passar, pois sei que sua cruel natureza falará mais alto que seu consciente e você irá olhar pra mim, destruindo todo o meu equilíbrio.

Texto Escrito Por: Ronyson Severiano

3 de jul de 2015


     Para aquela criança, todo dia era como uma página em branco de seu caderno da vida sendo preenchida com um sonho. Cada minuto era como se uma porta se abrisse e a luz percorresse por todo o quarto vazio e a enchesse de esperança. Cada segundo era como se sorrisos matassem de vergonha o seu medo de errar. Não sabia que bem ao seu lado morava a arrogância dos que não acreditavam. Criança tão inocente, que achava que os bobos da turma iriam lhe impedir de traçar seus caminhos. É só a sala de aula. Risos e risos dos que querem lhe agredir! Ela não tinha o que temer, mas temia. Os rumores que se alastravam pelo corredor, ela podia sentir. Apontem os dedos para aquela criança e a julguem, afinal nascemos para achar todas as coisas que estão ao nosso redor tediosas. Como uma amante da vida, ela apenas saia para sentir o amor de graça que a vida colocava sempre em oferta. Apenas batia o pé e continuava a confiar em seus objetivos. Assustada, na ultima cabine do banheiro, ela apenas torcia para que o fim dos estudos estivesse próximo para fugir de todo aquele perigo. O sinal tocava, ela abria a porta da cabine devagar para voltar pra sala, onde ouviria mais comentários sarcásticos sobre suas decisões. Amante da vida, desejava sempre o bem ao próximo. Amante da vida, distribuía gentileza por onde passava. Amante da vida, vivia sempre com instintos de uma música feita para primavera. Realmente não se incomodava, pois todo dia era como um dia de batalha onde seu coração era sempre machucado. Criança não devia sofrer assim, devia? Nunca foram encontradas as marcas de suas lutas no colegial, pois elas são completamente invisíveis a olho nu. Terríveis e Cruéis, aqueles que hoje nem se lembram das ações cometidas contra a criança. Mas para ela, que um dia foi indefesa, cada dia é como se todos esses rabiscos de tortura, que foram feitos sobre seus desejos, fossem apagados do seu caderno para que no futuro ela esteja pronta para realizá-los. Hoje ela não se preocupa mais, pois sabe que estava apenas numa sala de aula.

Texto Escrito Por: Ronyson Severiano
Música Inspiração: New Romantics - Taylor Swift

30 de jun de 2015


     É só aqui na minha região que a chuva está fazendo a festa? Se na sua cidade não está, horas, é inverno! Deve ta batendo um friozinho ai, mesmo que seja uma mísera brisa para espantar o calor. Foi exatamente esse tempo de frio que me inspirou a fazer essa lista de músicas. Não sei se sou o único, mas no inverno eu gosto de encher a minha playlist com músicas que tenham uma batida contagiante ao invés das canções depressivas ao som do violão. Não! Não falo da música animada, como as músicas do verão. Mas sim daquelas que, mesmo com a batida um pouco mais agitada, continuam sendo leves e combinam perfeitamente com o tempo chuvoso, te deixando uma sensação de conforto enquanto você descansa entre as cobertas. Esse friozinho acompanhado do barulho da chuva escorrendo pelo telhado é o tempo perfeito para dar uma inovada no repertório musical. Corre pra aproveitar antes que o calor volte!


25 de jun de 2015


      Estou aqui apenas para anunciar que o Grande Galáxia, depois de uma pequena pausa de quase um mês, está voltando com um novo visual. Dei essa curta folga ao blog justamente para reformular o layout, repensar as ideias, renovar o conteúdo. Um thanks especial para a Letícia Persique me disponibilizou um código base, para que fosse feita a reformulação do layout. Obrigado Letícia! Esse blog apenas representa pra mim algo que eu nunca consegui alcançar antes! Quase 7 meses no ar, e continuo com a antiga e boa disposição para publicar novas matérias. Nunca esperei chegar até aqui com o mesmo entusiamo, e aqui estou, com muita sede de inovação! Se depender de mim, o Grande Galáxia irá muito mais além!
     Eu agradeço a você que tem me acompanhado até aqui. Temos muitas coisas boas para explorármos juntos e só o tempo dirá a hora certa para cada uma delas. Mentiria se dissesse que penso pequeno. Penso alto, muito alto mesmo, e é isso que me mantém vivo, esperançoso. Talvez esse fosse um ótimo discurso o para aniversário de um ano, mas quem disse que eu teria paciência para esperar? Sinto que a hora de dar um novo passo e renovar meu contrato de blogueiro com vocês é agora. A gente cresce ouvindo uma crítica amiga, um amigo professor, uma amizade verdadeira. É um fluxo interminável de pensamentos criativos que deixo fluir pela minha mente. Não há nenhuma conquista em especial para essa renovação ou para esta postagem. A única conquista que tenho é esse blog que tem me dado confiança e determinação para seguir em frente com tudo que tenho sonhado desde que era um moleque. Espero sempre te ter aqui comigo, meu caro leitor. Muito obrigado! 

Explore the Galaxy!

     Deixe de lado todos os comentários sobre a família tradicional brasileira, este post é referente a norte-americana. Enquanto que parte dos brasileiros batem o pé de raiva ao ver um abraço de pessoas do mesmo sexo em uma simples propaganda de perfumes, os norte-americanos se quer hesitaram (deve ter tido um ou outro que não gostou nada da ideia, né?) ao presenciar o beijo gay mais jovem da televisão estadunidense no canal ABC Family, através do seriado The Fosters, que inclusive já foi mencionado aqui no blog neste post (Recomendo para melhor compreensão).
     Espera um pouquinho ai! Antes de tudo, gostaria de deixar claro que este post é apenas uma homenagem ao meu casal preferido da televisão, e não uma tentativa de te obrigar a seguir a mesma linha de liberdade que eu tenho sobre este assunto. Está atrás de polêmicas? Isso você não vai encontrar aqui, tudo o que tenho a te oferecer nesta publicação é a bela história de Jude e Connor. Esqueça as malícias e todos os padrões. Não saia julgando por ai apenas por ser diferente de tudo que vem assistindo desde a infância. Não é menino e menina como muitos queriam que fosse, mas é um primeiro amor como qualquer outro. 
     Outro detalhe que deve ser mencionado: Os personagens não foram se beijando logo de cara assim que se conheceram. Tem toda uma história em volta disso tudo, que foi se desenvolvendo durante longas (e maravilhosas) duas temporadas até que o beijo finalmente acontecesse (não vai esperando por um beijão, foi um selinho). Segundo a ABC Family, o beijo iria acontecer no final da primeira temporada, mas acabou sendo adiado para que eles pudessem se aprofundar e explorar mais a conexão que os personagens possuíam antes que estes dessem o próximo passo. Os atores também passaram por uma preparação para que isso não viesse a ser taxado como uma influência para os mesmos, mas isso não é algo para se discutir, não é  foco desta publicação.

12 de jun de 2015


      Músicas que tenham a palavra Smile (sorrir em inglês) de alguma forma sempre fazem a gente vibrar de emoção, seja ela calma ou animada. A ideia me veio a mente enquanto ouvia uma das músicas abaixo, quando me toquei que haviam outras com o mesmo nome, o SmileComo eu sou viciado em fazer listas aqui no blog,  Não pensei duas vezes e vim aqui correndo. São apenas 5 músicas, mas com certeza existem muitas por ai. Espero que gostem. E não deixem de sorrir, faz bem pra alma!




9 de jun de 2015


      Sentado em uma sala escura admirava aquela vela acesa posta sobre a mesa, pensando em todos os momentos que poderia ter ao seu lado. Observava atentamente sua pequena chama derreter lentamente o longo bastão de cera como minhas esperanças ao te ver com outra pessoa.
      Impacientemente passeava pela sala, à medida que o tempo passava e a vela deixava o ambiente mais escuro. Estava prestes a se apagar a minha única companhia, e razão de me deixar a certeza que a quela vela era assim com eu. O calor do amor que eu sentia por você acabava completamente comigo, porém apesar de parecer que o fim da minha vela estava próximo, tinha uma única razão de continuar olhando para ela, sua chama gloriosa. E ela me dizia apenas as sinceras palavras "vai ficar udo bem".
      Porque a vela simplesmente não apagava e se livrava de todo aquele sofrimento? Ao invés disso, ela lutava contra cada corrente fria de vento que por ali passava. Talvez ela tivesse alguma razão para continuar acessa. Assim como eu, e a minha é te ver feliz.

Texto Escrito Por: Ronyson Severiano

4 de jun de 2015


      E se eu quiser ser um pouco descontrolada? Sair da minha zona de conforto! E se eu quiser sair um pouquinho da linha me arriscando em coisas que nunca fiz, peço que me apoie! Se eu não soube como te dizer não se importe, é só o meu jeito de te amar. Mesmo que eu não lhe dê tanta atenção como antes. Não é nenhum segredo, mas não importa em qual caminho a vida vai me colocar, seu amor é a melhor coisa que eu tenho e nunca vai acabar.
      Não seja um bobo, se você sorrir, farei o mesmo. Mesmo que distante conhecendo o mundo, onde quer que eu esteja, a saudade vai bater. E agora ele está batendo na minha porta pedindo para encontrá-lo. E deixá-lo aqui sozinho para realizar o meu sonho é tão difícil quanto ir sem você. Não pode culpar uma garota por tentar. Estou meio que surtando pelas coisas estúpidas que disse, mas foi com amor que te disse até logo. Minhas palavras resultaram em suas lágrimas, mas peço que me perdoe, eu sou uma bagunçada tentando sobreviver no meio do nada. 
       Você diz que vai estar aqui quando eu voltar, e acredito nisso. Se não acha que voltarei pra você pense um pouco mais e olhe em volta. Essa é minha casa! Nos seus braços. Vizinho ao meu bem mais precioso, seu amor! Eu preciso desta jornada. Mas não se preocupe, volto a tempo para o jantar. Não seja um bobo, seu amor é a melhor coisa que eu tenho e não pode apenas culpar uma garota por tentar se arriscar numa aventura pelo mundo longe do meio do nada. Eu sei que as vezes parece que não te dou a mínima, mas isso não é um adeus, e nunca vai ser, estamos apenas começando.

Texto Escrito Por: Ronyson Severiano

29 de mai de 2015


      O filme que vou recomendar hoje é simplesmente sensacional e vai te arrancar boas risadas. É um filme bem light pra assistir com a família em um calmo domingo ou até mesmo sozinho numa sexta-feira a noite depois de uma longa semana. Juro que ainda estou tentando aprender o nome desse filme, é enorme! Alexandre e o Dia Terrível, Horrível, Espantoso e Horroroso! E como o nome sugere, trata-se apenas de uma família tendo o pior dia de suas vidas, porém vão levar esse dia como lição para o futuro. O filme é uma produção norte-americana da Disney, que mais uma vez não deixou a desejar. Ele é bem recente, foi lançado no ano passado (2014) no dia 23 de outubro. Eu amei o filme do primeiro segundo até o ultimo e é claro, não poderia deixar de fazer uma recomendação pra vocês né? Adiante...


      O Filme conta a história de um garoto de 11 anos chamado Alexandre com uma vida repleta de desastres e sua família bem sucedida. Um dia antes do seu aniversário, Alexandre já acorda com um belo tombo ao se levantar da cama e descobre que o garoto mais descolado da escola vai dar a sua festa de aniversário no mesmo dia que a sua. Quando vê tudo dando errado, Alexandre busca a compreensão de sua família, que não leva os problemas do garoto muito a sério pois estão ocupados demais cuidado de suas vidas perfeitas.

      A sua mãe Kelly é super focada no trabalho e está prestes a conseguir uma promoção no trabalho no dia seguinte. Assim como seu pai Ben, que está desempregado e responsável pelo mais novo da casa Trevor, que vai ter uma entrevista de emprego importantíssima. E para completar os seus irmãos estão ocupados com suas obrigações do dia seguinte, sua irmã Emily vai apresentar uma peça na escola como Peter Pan, e o seu irmão mais velho Anthony, é mais popular da escola onde estuda, está se preparando para o baile, vai ter seu teste de motorista e quer ter a noite perfeita com sua namorada. Definitivamente é um dia muito importante para todos.
      Agora imagine tudo isso dando errado no outro dia! Ao passar da meia noite Alexandre, sem querer, faz um pedido, ao soprar a vela do seu Sunday, que acaba se tornando realidade: "Eu so queria que eles soubessem o que é ter um dia  Terrivel, Horrivel, Espantoso, e Horroroso!". Eai começa toda confusão!



      O Filme passa uma mensagem muito legal,  que nos ensina a aproveitar mais a vida e parar reclamar dos nossos problemas! "Precisamos ter dias ruins para, para poder gostar ainda mais dos bons!" Já teve um dia terrivel, horrivel, espantoso, e horroroso? Se esse dia chegar, enfrente ele com um sorriso no rosto e apenas seja feliz! 

26 de mai de 2015


      Eu gostei tanto de fazer o ultimo post de covers com a música Uptown Funk que decidi repetir a dose com mais um! Dessa vez escolhi mais uma música que não sai da minha cabeça e que sei a letra de có. RUDE! Da banda Magic! Todo mundo ai conhece né? "Why you gotta be so ruude?"  Fazer essa seleção foi um pouco difícil pois tinha muito cover bom, e eu só queria escolher 8 pra não ficar muito longo e também seguir o padrão do ultimo post (que você pode conferir clicando aqui) Sem mais enrolação... Vamos lá!

MÚSICA ORIGINAL - RUDE - MAGIC!


8 MELHORES COVERS - RUDE







22 de mai de 2015


      Era uma vez um coração solitário. Não tão solitário quanto parecia ser, pois dentro dele haviam sinceras esperanças. Certo dia ele vagava pelas ruas à procura de companhia, e as luzes da cidade o fazia fechar os olhos e sentir as estrelas sobre o céu, que não tão longe do chão, faziam companhia as pessoas mais solitárias do mundo com seu brilho misterioso que pode conter mil significados. Elas tinham companhia, tinham umas as outras em um vasto universo escuro e silencioso.
      Coração tão jovem, tentando fazer coisas que achava não saber, tentando achar sua própria melodia, necessitando ser aquele que brilha para si mesmo encontrando auto equilíbrio. Todos os seus medos, se transformavam em esperança. Partir desta vida sem ter tido alguém para lhe dizer um olá era o seu maior medo.  O coração estava se quebrando em pedaços porém, mal sabia ele que nunca iria morrer sozinho, teria as estrelas, não tão longe do seu sincero desejo de ter companhia.
      As estrelas não precisavam falar umas com as outras para perceberem que tinham umas as outras. Ele agora olhava mais uma vez para as luzes da cidade, as ruas desertas, sentia-se vivo quando novamente passou a observar com mais atenção as estrelas lhe dizendo um doce e suave Olá. O coração agora tinha sua janela aberta pela primeira vez para uma colina distante iluminada pelo sol. Hoje, ele sabe que nunca vai morrer sozinho, pois um dia, talvez se conseguir... E vai! Ele será uma estrela, e brilhará por si próprio em meio a toda escuridão. O coração será uma estrela, significando algo sem dizer uma palavra! O  coração será uma estrela, que brilha por sua esperança que um dia foi medo. O  coração será uma estrela, tão jovem, que tem muito chão pela frente, e muitos Olá para ouvir. Viverá para ouvir esse olá, o coração que será uma estrela! 

Texto Escrito Por: Ronyson Severiano


15 de mai de 2015


      Opa, estou sentindo um clima de Nostalgia! Não sou só eu que tem nostalgia com músicas, sou? Ao preparar essa lista com esses 12 antigos hits eu e a Ju, minha parceira de postagens aqui do blog que ta sempre me socorrendo com o conteúdo, ficamos totalmente nostálgicos e começamos a resgatar do fundo do baú músicas que ouvíamos há cerca de três a cinco anos. Nossa! bons tempos que não voltam. Você com certeza ouviu pelo menos uma dessas músicas, e se não ouviu nenhuma gostaria de te fazer uma pergunta: Em que caverna você vivia?  Que comece a viagem no tempo...













12 de mai de 2015


      O que você faria se pudesse re-escrever seu filme favorito? Não apenas para mudar a história, mas sim pra revive-la mais uma vez. Nossa imaginação é capaz de fazer isso. Quando um filme que gostamos muito não tem continuação ficamos tentando imaginar como aquela história daria continuidade. E pra mim, que gosto de escrever e imaginar isso acontece constantemente. hehe! Um dos que mais me afeta é High School Musical que foi um fenômeno da Disney lançado em 2006 e conquistou o mundo com a aventura romântica dos dois jovens Troy e Gabriella e seu amor pela música.
       O filme fez tanto sucesso que teve duas sequências, High School Musical 2, e o ultimo, que foi lançado nos cinemas, High School Musical 3: Ano da Formatura (Fora as versões produzidas pelo mundo). Quando o terceiro filme foi lançado e foi anunciado que aquele seria o ultimo eu pensei "Não! Tem que ter mais!", e admito que sempre fiquei recriando todo o filme na minha cabeça várias e várias vezes. Então pra matar a saudade, esses dias estive pensando, e se eu escrevesse uma versão minha diferente do filme?
      Claro que daria muito trabalho, mas ai eu simplifiquei, e resolvi fazer um post aqui no blog uma espécie de resumo sobre como seria a história do meu próprio High School Musical! É difícil superar um High School Musical, mas vamos brincar e imaginar um pouco tentando mudar o rumo da história.



     Na noite do ano novo, Gabriella Montez, uma garota inteligente, destemida e cheia de confiança, acaba conhecendo o tímido Troy Bolton em um dueto musical no karaokê em uma festa da virada para jovens. Os dois acabam trocando olhares enquanto cantam a música e logo após o fim do dueto eles conversam por alguns minutos. Algumas semanas depois, sem nunca mais terem se visto depois daquela noite, Troy deu de cara com a misteriosa garota estudando na sua própria sala. Enquanto Gabriella tenta se adaptar ao novo colégio fazendo novos amigos e se juntando ao grupo de matemática, Troy está tentando entrar para o time de basquete. Os dois começam a ter uma bela amizade, e despertam a vontade de cantar logo após Kelsi, compositora do musical e melhor amiga de infância de Troy, inscrevê-los no musical por acidente como uma dupla. O casal no início nega ter vontade de participar do musical, Troy apenas queria focar nos estudos para a faculdade e entrar no time. Mas depois de se envolverem um com o outro acabam despertando uma paixão pela música.
     As coisas começam a sair do controle quando Troy é negado e ignorado pelos integrantes do time, após estragar seu teste ficando nervoso, e Gabriella estar cada vez mais popular devido a Sharpay e Ryan Evans estarem puxando-a para o seu lado afim de estragar a parceria com o Troy para que os dois saim do caminho deixando o papel principal para ela e seu irmão. A medida que Gabriella vai se enturmando mais, Troy acaba sendo deixado de lado e fica deprimido. Os dois ficam sem se falar depois que Ryan arma para os dois fazendo Troy pensar que Gabriella acha que ele não é bom o suficiente para entrar no time, para cantar no musical, ou para ser seu namorado, quando Ryan empurra Gabriella para cima do atual capitão do time. Então Kelsi na intenção de salvar o show, tenta renuí-los junto com os integrantes do clube do teatro Chad e Taylor (que também joga no time).
     Kelsi reorganiza a bagunça com os conselhos da senhora Darbus que diz achar que Troy precisa descobrir quem ele realmente é. Gabriella acaba descobrindo a farsa porém se sente tão mal em relação ao Troy que desiste do musical. Os dois acabam cantando juntos no musical, quando Troy convence Gabriella a voltar aos palcos depois de se declarar para ela.
     Troy finalmente consegue sua vaga no time depois de começar a acreditar mais em si mesmo, com a ajuda da senhora Darbus, da Kelsi e dos irmãos Evans na intenção de se desculpar.


       Conseguem achar as diferenças? haha É claro que sim né? Ficou bem diferente do verdadeiro High School Musical. Eu inverti um pouco as situações do filme original e mostrei o Troy como o garoto que queria ter mais confiança para lutar pelo que queria. Eu sempre notei que o Troy original, mesmo sendo tão popular como era, ele tinha suas dificuldades pra se expressar, então achei que a história sendo contada dessa forma também seria válida. Ainda prefiro o clássico High School Musical hahaha, mas brincar um pouco com as histórias dos filmes que você gosta é uma dica que eu recomendo a vocês, estimula a criatividade e a escrita. Espero que vocês tenham gostado, e você pode me enviar como seria a sua história, ou deixar ai nos comentários no que sua versão do filme focaria, no Ryan? na Sharpay? na Taylor? No Chad? Sinta-se livre para criar o seu mundo High School Musical!

5 de mai de 2015


      Vergonha! Ele tem vergonha! Não diz uma palavra porque tem vergonha! De tanto que falou no passado, agora encontra-se perdido em seu profundo silêncio. Sente falta do tempo que todos sorriam ao lhe ouvir, sente falta do tempo que era extremamente querido por quebrar o gelo, sente falta do tempo que fazia qualquer pessoa fechada cair na gargalhada. Fazia uma zoada danada! Berrava! Levava tudo na brincadeira fazendo a barriga de todos os amigos doerem de tanto rir. O que houve com todo esse barulho? Hoje, calado, ele não diz nada que não seja necessário. Ele não era só querido como também era odiado. Estúpido! Chamaram-lhe de estúpido! "Você só fala coisas sem sentido", de tanto que lhe falaram essas palavras, ele se calou! Fazendo do silêncio sua nova moradia.
      "Cale a boca! Não quero nem mais um piu!", essas palavras cortavam suas asas para depois serem jogadas no fundo de um abismo. Ele odiava o silêncio, por isso falava tanto. Para ele, o silêncio incomodava tanto quanto estar entre dez grandes caixas de som no volume máximo. Aquele grande barulho de nada o fazia pensar, e pensar demais o fazia se incomodar com opiniões maldosas. Ele poderia ter tudo, amigos, família, boas notas, uma boa reputação, mas se calasse a boca por um segundo para ouvir os comentários que faziam sobre sua pessoa ele estaria á beira do grande vazio.
      Quando ousou obedecer a ordem de se calar dos delinquentes que nada sabiam sobre sua vida, ele começou a ouvir seus pensamentos mais profundos. E ali estava ele, não dizia uma palavra. Seu silêncio agora era o novo querido dos que lhe julgavam, que na verdade só queriam espaço para falar mais. Se alguém te mandasse calar a boca, você entregaria seu silêncio? Ele não vai permanecer assim para sempre. Pois tão ousado como era voltará a ser e falará o necessário para quebrar seu silêncio.

Texto Escrito Por: Ronyson Severiano

28 de abr de 2015


      Garotas, digam aleluia!!! Quem aqui não conhece o mais recente hit "Uptown Funk" do cantor Mark Ronson acompanhado do nosso querido Bruno Mars? Eu simplesmente amo essa música assim como amo todas do Bruno. A música é dona de um ritmo contagiante que faz qualquer um querer sair dançando por ai. Como eu gosto muito de ver covers na internet, não pensei duas vezes e resolvi publicar aqui no blog uma lista com os 8 melhores covers da música. Ninguém enjoa ou esquece a letra! Don’t believe me, just watch! 

MÚSICA ORIGINAL - UPTOWN FUNK - MARK RONSON FEAT. BRUNO MARS


8 MELHORES COVERS - UPTOWN FUNK